02 out 20

É possível prevenir crises por meio da inteligência artificial?

Como essa tecnologia emergente pode prevenir e colaborar em momentos tempestuosos

No primeiro trimestre deste ano, o mundo inteiro ficou abalado com as consequências da pandemia da Covid-19. Empresas tiveram de enviar seus colaboradores, da noite para o dia, para o home-office. Comércios foram obrigadas a atender apenas no digital. Enquanto isso, parte da produção no campo foi perdida até que se encontrassem caminhos viáveis para o excedente. Mas será que essa história seria diferente com o uso da inteligência artificial (IA)?

A julgar pelos exemplos trazidos pelo especialista em IA, Alexandre Del Rey, no webinar “Inteligência Artificial em tempos de crise – desafios empresariais”, as organizações que investirem na ferramenta poderão sair do sufoco e seguir caminhos mais prósperos após a tormenta.

“A inteligência artificial pode ser usada para aumentar receitas, diminuir custos e até para desenvolver carreiras”, exemplifica Del Rey. Para o professor da FIA e sócio fundador da I2AI, Associação Internacional de Inteligência Artificial, a tecnologia oferece uma ampla gama de oportunidades para aqueles que souberem usá-la.

Não por acaso, Del Rey é sócio-investidor de empresas que apostam no uso da tecnologia, a CleanCloud e a Agrointeli.

IA como aliada para alavancar a carreira

“É importante entender o conceito da inteligência artificial não para ser um programador, mas para mudar os rumos dos negócios”, enfatizou o sócio fundador da I2AI. De acordo com o professor da FIA, que dá aulas sobre a matéria no MBA de Gestão Empresarial, o profissional que consegue desenvolver uma carreira de projetos digitais bem-sucedidos, é um ativo bem quisto no mercado de trabalho.

“Você será visto com um profissional digital, que está ligado e entendendo sobre novas tecnologias”, sublinhou. Del Rey tem razão e um levantamento apresentado pela rede social LinkedIn comprava essa tese. No estudo, foram mapeadas as profissões em alta para 2020, entre os 15 cargos analisados pela rede, nove estão ligados à área de Tecnologia da Informação. https://exame.com/carreira/15-profissoes-em-alta-para-2020-segundo-o-linkedin/

1. Gestor de mídias sociais

2. Engenheiro de cibersegurança

3. Representante de vendas

4. Especialista em sucesso do cliente

5. Cientista de dados

6. Engenheiro de dados

7. Especialista em Inteligência Artificial

8. Desenvolvedor em JavaScript

9. Investidor Day Trader

10. Motorista

11. Consultor de investimentos

12. Assistente de mídias sociais

13. Desenvolvedor de plataforma Salesforce

14. Recrutador especialista em Tecnologia da Informação

15. Coach de metodologia Agile

Aplicação da tecnologia nos negócios

Os hábitos e rotinas dos consumidores mudaram após o episódio de isolamento social. Mas como monitorar e até prever tendências deste novo consumidor? A resposta para isso, de acordo com o executivo, é investir na IA.

“Podemos usá-la para analisar gráficos de tendência de consumo no pós-pandemia, predizendo, assim, as necessidades dos clientes”, esclareceu. A ideia, segundo o especialista, é que os negócios entendam as carências de seus consumidores no momento exato da necessidade, garantindo uma fatia de mercado até então desconhecida.

Foi o que aconteceu, de certo modo, com a parceria entre as empresas Synkar e Ifood. A startup brasileira Synkar forneceu robôs para a entrega autônoma de comida pelo aplicativo  Ifood. A colaboração entre as empresas aconteceu justo no momento que se decretava o isolamento social nas grandes cidades brasileiras. Com medo do contágio da doença, as pessoas evitavam o contato com estranhos.

Como já mencionado, a aplicação da ferramenta pode também ajudar a prever crises e até acidentes. Na apresentação, Del Rey demostrou o DEFACTO, sistema que foi feito para combater incêndios que reúne diversas tomadas de decisões automáticas da máquina, antes da ação humana, usando:

  1. Visão computacional
  2. Sensores
  3. Avaliação de Resultado
  4. Sequência de ações
  5. Interação Humana

Como a IA foi empregada no combate à Covid-19

E, como destacado por Dely Rey, na crise da Covid-19, não faltaram chances para empregar a IA. A tecnologia foi usada no monitoramento da doença, no diagnóstico e no aprendizado dela, bem como na cura e no tratamento.

“A inteligência artificial está sendo usada para identificar novas drogas. Graças ao uso da tecnologia, muitas vacinas que demoravam de um a dois anos para serem testadas e produzidas, tiveram suas fases encurtadas”, explicou o especialista.

Foi o que aconteceu com uma das vacinas mais promissoras no combate ao vírus, a da Universidade de Oxford. Há cerca de dois meses o Instituto Fiocruz estabeleceu uma parceria para testagem, compra de lotes e transferência de tecnologia desta vacina.

Outro exemplo do uso da inteligência artificial no contexto da doença foi o monitoramento dos chamados “furadores de quarentena”. Por meio de dados anonimizadas fornecido por Telecoms foi possível monitorar quem não estava respeitando o distanciamento social. Segundo monitor desenvolvido pela empresa Inloco, atingimos o pico de 62,2%, em 22 de março. Especialistas apontam que a porcentagem ideal seria de 70%.

“Veja quantas possibilidades a IA forneceu para o combate da crise. Imagine, então, as perspectivas do uso da tecnologia no seu negócio”, completou Del Rey.

Esse conteúdo faz parte de aulas do nosso MBA de Gestão Empresarial, do ProCED-FIA. Quer saber mais sobre o curso? Clique aqui https://proced.fia.com.br/cursos/mba/mba-gestao-empresarial/ e agende uma conversa com uma de nossas consultoras.


Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *